Loading...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Tropa de Elite 2

Galera, vale conferir esse filme. Depois do primeiro em que o Capitão nascimento encara o papel de um justiceiro implacável, que invade as favelas do Rio de Janeiro e põe de joelhos os traficantes e denuncia o envolvimento de policiais corruptos na venda de armas para o crime organizado. Agora ele passa a ser comandante geral do BOPE e depois Sub Secretário de Inteligência. Nessa função ele vai fundo no mundo do crime e descobre que prender traficantes não resolve o problema da violência, muito menos consegue tornar a vida das pessoas mais seguras.
Tropa de Elite 2 é ficção, mas pode ser comparada com a vida real de forma bastante clara e objetiva, o inimigo agora é outro e muito mais perigoso. A vida real que me refiro não preciso ser somente a dos morro carioca não, pode ser comparada om a nossa realidade daqui mesmo.
O mundo em que a trama vai se desenrolar esta inserido no espectro político, ufa! até que enfim colocaram a maldita palavra no centro da questão para debater e explicar uma coisa séria como é a de Segurança Pública.
A grande verdade é que a maioria da população sente nojo de política, vê os políticos e vai logo segurando a carteira na mão, se agarrando na bolsa e o pior, acredita que por esse viés esta tudo perdido e jamais vamos resolver algo discutindo política. Gigantesco engano, se o problema identificado esta ali, ora bolas, é exatamente ali que tenho que procurar resolve-lo. Fugir dela favorece os corruptos, tomar posições sem antes fazer um mínimo de debate na minha opinião só pioram as coisas e favorece o surgimento de justiceiros, como aquele comentarista de TV ao meio dia que bate com o porrete na mesa e xinga todo mundo. Aquele que se apresenta como o dono da verdade e dos bons costumes que através da força vai restabelecer a ordem, a paz e a verdade, que propõe pena de morte para "bandidos" e "vagabundos".
A população em sua maioria absoluta cega e sedenta por justiça vira uma grande marionete desse tipo de gente, logo vêem nele o grande herói capaz de resolver os nosso problemas e chegam a elege-lo como prefeito, deputado e por ai vai, não conseguem enxergar que foram enganadas, traídas, pisoteadas e que através de sua atitude elevaram o problema a décima potência ao invés de resolve-lo.
Oque fazer então? Primeiro, temos que saber que não existem formulas mágicas para resolver as coisas e que tudo não depende somente da vontade, é preciso paciência e muita lucidez, aliado a participação política, ou seja, temos que tomar parte das coisas e fazer o que nossa obrigação de cidadão nos solicita que façamos. Também não adianta ficar sentado reclamando e esperando que outro justiceiro apareça, só que agora do "bem". Temos que tomar partido das coisas, colocar o dedo na ferida e promover o debate, que é legítimo, fortalece a democracia e esclarece os fatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário