Loading...

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sobre Drogas e sua proibição...

Estava eu, lendo o livro Cachorros de palha de John Gray, professor de economia e colunista do jornal britânico The Guardian, quando me conta da necessidade de querer compartilhar o que estava lendo. principalmente por que ele aborda entre tantos assuntos a questão do uso de drogas e a condição desse uso na sociedade dos dias atuais. O texto me inspirou a querer escrever, e assim o fiz, porém é preciso afirmar que parte dele é uma transcrição do original.

Escapar da semelhança de coisas conhecidas através do uso de drogas é uma das principais diversões da humanidade. pinturas feitas por volta do final da última Idade Glácial descobertas em uma caverna em Pergouset, no sudoeste da França, mostram figuras de animais, provavelmente representando as experiências com drogas de artistas há 12 ou 14 mil anos. Os xamãs (povo nativo da sibéria) têm usado drogas de desde sempre.
Não há nada peculiarmente humano no uso de drogas. Tanto no cativeiro como soltos, foi demonstrado que muitos outros animais buscam intoxicantes para romper o tédio da consciência comum. Marais escreveu: "O uso habitual de venenos com o propósito de induzir a euforia - uma sensação de bem-estar mental e felicidade - é um remédio universal para a dor da condição consciente". Mas então por que proibir as drogas??
Proibir as drogas torna seu comércio fabulosamente lucrativo. Gera crimes e aumenta consideravelmente a população nas prisões. Mas o comércio e o consumo aumentaram consideravelmente no mundo todo. Ou seja, a proibição falhou. Por que então os governam não legalizam? Alguns dizem que o crime organizado e a lei estão unidos numa simbiose que bloqueia reformas radicais. Pode haver verdade nisso, mas a explicação é outra.
John Gray escreve que: "Os mais implacáveis contra as drogas têm sido sempre os progressistas militantes. Não é acidental que a cruzada contra as drogas seja liderada hoje por um país comprometido com a busca da felicidade - os EUA. Pois o corolário dessa improvável busca é uma guerra puritana ao prazer. O uso de drogas é uma proibição tácita de uma verdade proibida. Para a maior parte das pessoas, a felicidade encontra-se fora do alcance. A satisfação é encontrada não na vida diária, mas em fugir dela. Como a felicidade não esta disponível, a maioria da humanidade busca o prazer".

Baseado no texto de John Gray - Paraísos artificiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário