Loading...

terça-feira, 28 de maio de 2013

A Universidade Federal Pública e Gratuita é uma realidade

Minha ideia neste texto é falar um pouco a Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS. Mas antes, quero relatar uma impressão sobre a universidade por uma pequena parcela de pessoas da nossa cidade. É mais ou menos assim, fim de tarde, verão, estávamos eu e meu amigo Clebersom fazendo uma caminhada no eco parque. Ele me contando sobre o curso de pós-graduação em Jornalismo que está fazendo na Unochapecó. Disse que sua turma é bem eclética, pessoas de diversas formações, bem empregadas ou em seu próprio negócio. Contou-me sobre um debate que travaram em sala de aula sobre a universidade federal recém criada em Chapecó. Um de seus colegas, formado em Odontologia disse: “... essa universidade não mudou em nada para mim...”. Pensei comigo, ele tinha razão! como podem construir uma universidade e não levarem em consideração o centro do universo?  

O que esse cidadão não sabe é que o desejo, de toda uma região, por uma universidade federal era coisa muito antiga. Não sabe que o assunto foi pauta nos meios de comunicação, nas universidades e em quase todas as esferas sociais durante bastante tempo. Não sabe que foi somente no ano de 2005 que a coisa deslanchou. Foi quando as entidades do movimento social, em especial os movimentos ligados ao campo e a agricultura, com o apoio dos movimentos sociais da cidade, com o apoio das igrejas e de organizações políticas que uniram forças e criaram o Movimento Pró-Universidade Federal.  

Não sabe ele que apesar de toda essa união teve quem fosse contra. Sim! teve o prefeito de Chapecó, na época era o Sr. João Rodrigues. Ele se opôs ao movimento e fez de tudo para atrapalhar. Para nossa sorte, ele não teve êxito. E foi no ano de 2009 que o Presidente Lula sancionou a Lei 12.029 e criava a Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS, com sede em Chapecó e mais quatro campi - Realeza e Laranjeiras do Sul no PR e Cerro Largo e Erechim no RS.

Esse cidadão provavelmente não sabe que em Chapecó a universidade federal oferece (11) onze cursos de graduação e (02) dois cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu – mestrado em estudos linguísticos e mestrado em educação. Por si só, isso já é um enorme significado político e cultural para a cidade, e que esta apenas começando. Outro significado importante para Chapecó é que agora nós temos educação, pesquisa e extensão publica e gratuita. Com isso a cidade caminha a passos largos para se tornar um grande centro de referência no país.


Ele desconhece ou finge não saber que a universidade contribui para o desenvolvimento regional de forma direta. São 150 professores e 300 técnicos administrativos contratados para trabalhar na instituição, o nome disso é geração de empregos e trás renda para a cidade. Desconhece que a universidade já atende 2500 alunos. Que vieram em busca de uma formação pessoal e profissional. Que a vinda destas pessoas impulsiona os setores da construção civil, imobiliárias, comércio de alimentos, vestuário e de lazer. Ele não percebe que Chapecó vive uma nova realidade. Não sabe que essa conquista é fruto da perseverança e da organização dos movimentos sociais. Se considerarmos a vida pública e não apenas a vida privada, será que a universidade não mudou em nada a vida do colega dentista? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário