Loading...

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Por que o silêncio da imprensa chapecoense?


João Rodrigues, atual Secretário Estadual de Agricultura, eleito Deputado Federal em 2010 pela região oeste e Prefeito de Chapecó por duas vezes 2004 e 2008. Pessoa de grande poder na cidade, muitos apadrinhados, apoio na elite empresarial e grande prestígio na imprensa local.

Além deste currículo na carreira política, João Rodrigues tem sérios problemas na Justiça. Ele foi condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região (Porto Alegre – RS). O motivo da condenação é referente a denuncia de irregularidades na compra de uma retroescavadeira em 1999 quando ele era prefeito de Pinhalzinho.

João Rodrigues tenta reverter essa decisão da justiça. Até o momento não teve êxitos. Sofreu duas derrotas, uma no Ministério Público Federal (MPF) e outra recentemente no Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com o relator do processo, ministro Luiz Fux, o que aconteceu foi: “vontade livre e consciente de fraudar o caráter competitivo do certame, bem como o fim de obter qualquer vantagem”. Trata-se de um assunto de altíssima gravidade, afinal, temos um secretário de estado condenado pela justiça.

O que me causa enorme estranheza é o silêncio da imprensa chapecoense. O fato teve destaque na coluna ronda política do Jornalista Bruno Pace Dori e foi matéria no recém criado Jornal Gazeta de Chapecó. Pela gravidade e importância do assunto é muito pouco. Por que a imprensa não deu destaque para o assunto? Não importa informar ao cidadão chapecoense que João Rodrigues, continuando nessa situação torna-se inelegível pela lei da Ficha Suja?  O que se quer esconder? Ou seria proteger?

Fico me perguntado como seria se o condenado fosse um político ligado aos partidos de esquerda como o PT ou o PCdoB. Que repercussão teria na imprensa local? Chamaria a atenção da TV? Quanto tempo ficariam falando no assunto? Será que esse tipo de comportamento se justifica pela liberdade de expressão? Eles expressam apenas o que interessa? Protegem uns e atacam outros? É assim que funciona? E o direito a informação? E a tal imparcialidade? Queria não acreditar, mas parece que aqui a informação tem dono. Se você pagar ela aparece, mas se você pagar ela também pode não aparecer. Será que é assim mesmo? 

Um comentário:

  1. Como sempre o poder da elite local, cala a imprensa corrompida.

    ResponderExcluir