Loading...

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Pelo fim da violência e da covardia.


Meu amigo Patrick Monteiro foi mais uma vitima de tentativa de homicídio em Chapecó. Ele recebeu dezenas de facadas e faconadas na cabeça, nas mãos e nos braços. O fato ocorreu a mais de seis meses em plena manhã de uma segunda-feira no centro da cidade. A brutalidade do atentado chocou a população e lançaram muitas dúvidas sobre os motivos e os responsáveis por essa truculência. 


Os bandidos não tiveram êxito. O Patrick sobreviveu e continua com seu sorriso contagiante e alegre em nosso meio. Sua força, fé e perseverança na vida me motivam a continuar na luta e acreditando que uma sociedade mais justa e mais fraterna para todos é possível. 

O pior já passou, mas muitas marcas ficaram. A família do Patrick passou a consumir muitos remédios e a fazer consultas periódicas em psicólogos, a dor e o trauma ainda fazem parte da rotina da família que foi alterada profundamente com o atentado.

A Polícia Civil solucionou boa parte do caso, os executores, o mediador e o mandante estão presos, mas o caso ainda está em aberto. Fico mais aliviado e confortável com a ação da polícia. Espero que continuem com o seu trabalho e desvendem todos os crimes cometidos em nossa cidade.

Na manhã de hoje (27), o prefeito Zé Caramori deu entrevista na rádio Super Condá, fez várias insinuações de que o Vereador Paulinho da Silva tivesse cometido ato que ferisse o decoro parlamentar. O Prefeito chegou a sugerir a criação de uma comissão parlamentar de inquérito para apurar os fatos e tentar incriminar o vereador Paulinho. 

O Prefeito conta ainda com a colaboração de alguns agentes de comunicação, são os chamados "boca de aluguel". Eles fazem o jogo do poder local. Lançaram provocações a semana inteira, escreveram em suas colunas diárias e rasgaram o verbo nas ondas do rádio.

Mas, senhor Prefeito, por que o senhor não se solidarizou com a vitima e os familiares da vitima? Por que não conversou com o vereador Paulinho na época, lembra que ele tentou falar com o senhor? Por que o senhor não participou do ato contra a violência em Chapecó? Ou do ato da Ana e da Duda? O Senhor esteve ausente da cidade e deixa-a praticamente desgovernada. 

Só para lembra-lo, o Patrick foi vitima de atentado de homicídio e não o contrário.

Prefeito, a sua entrevista me deixou com dúvidas. Por acaso o senhor está tentando inverter o que aconteceu? O senhor está com dó dos bandidos que estão presos? Esta querendo transformar quem foi vitima em bandido? 

Isso é o que podemos chamar de atitude covarde e só poderia vir de quem pratica o desgoverno em Chapecó.

Nenhum comentário:

Postar um comentário